Porto espacial na Escócia em risco

The Scotland Herald – Bid to bring spaceport to Scotland under threat due to crofters’ disput

Este é o tal projeto de porto espacial que disputa connosco o sítio de eleição da Orbex Space para lançar o seu Prime . Têm feito umas sopas do império e vendido umas rifas para ver se depois têm algo para mostrar, mas a verdade é que ainda ninguém o viu. Mas adiante, é aquele de que dizem bastar haver uma área de segurança de 1,3Km, que coincide exactamente com o maior aglomerado populacional de Malbusca. Como foram aqueles engenheiros calafonas desenvolver um veículo espacial que encaixa ali à medida das necessidades de segurança? Coincidências.

comparativo
Comparativo de diversos veículos espaciais

Bom, aparentemente, lá para os lados do Norte da Europa na península de A’Mhoine na Escócia, o processo está a ser conduzido com os mesmos contornos misteriosos que o de Malbusca.

The land, which is controlled by the Melness Crofting Estate, have alleged that the community has been kept in the dark over the development, with three of the seven directors resigning as a result.

In a vote, 18 of the 56 local crofters voted against the lease of land, with 27 voting for. Ten failed to vote.

And now, a complaint over the process could be taken to the Scottish Land Court, which could take years to resolve.

Nesse local da Escócia, vivem apenas 150 pessoas, uma zona com uma densidade populacional realmente baixa, mais uma coincidência como já ouvimos dizer a especialistas. Apesar de ter havido uma votação, “luxo” a que já sabemos não ter direito, com parecer favorável ao projeto, o projeto está em risco pelas preocupações ao nível ambiental, nomeadamente por conterem ecossistemas de turfas. Imagine-se como reagiriam se o local do lançamento estivesse inserida numa Área Protegida.

A corrida está de novo equilibrada, o processo corre o risco de arrastar nos tribunais escoceses para que se possa averiguar devidamente as implicações ambientais.

Olhemos em volta, não nos deixemos manipular por quem nos tenta iludir com promessas vãs. Não temos qualquer responsabilidade para com o Espaço, isto não é progresso nem inovação para Santa Maria, é deixarmos que lucrem centenas de milhões de euros à custa do nosso sacrifício, do direito de usufruirmos da nossa ilha em pleno, da nossa mobilidade, do nosso modo de vida – do tal spirrit.