O voto útil nas europeias

No próximo dia 26 de Maio, os Portugueses irão às urnas para eleger os seus representantes no Parlamento Europeu por um período de cinco anos. Historicamente, as eleições europeias têm sido desprezadas pelos portugueses, sendo os maiores índices de abstenção obtidos, justamente, no arquipélago nos Açores. Se os Portugueses se sentem longe da Europa, ainda mais os açorianos, considerando por isso totalmente irrelevante a sua participação nesta eleição.

Ora se as eleições europeias são, normalmente, ignoradas por terras açorianas, assumiram este ano particular destaque pelo braço-de-ferro entre Rui Rio e o PSD-Açores pela exclusão do habitual lugar elegível ocupado por um açoriano para o Parlamento Europeu (PE). A Região Autónoma dos Açores vê-se assim unicamente representado por André Bradford, um boy do PS Açores que deixa assim as tricas da ALRAA por ambientes bem mais plurais e abre assim caminho para o herdeiro Francisco César assumir as lides do Grupo Parlamentar do PS-Açores, ocupando cada vez mais o feed das redes sociais com o seu narcisismo inato e ação política inconsequente.

As estatísticas das últimas europeias

Como é visível abaixo, para a ilha de Santa Maria nas eleições europeias de 2014, a abstenção foi superior a 80%, o que também é explicado em parte pela desatualização dos cadernos eleitorais. Uma ilha com cerca de 5500 habitantes não tem certamente 5358 eleitores. De qualquer modo, deve ressalvar-se que quase 10% dos votos foram em branco.

Resultados eleitorais Europeias 2014 para a Ilha de Santa Maria
Votação na ilha de Santa Maria nas Europeias 2014

Votar em branco

Vem-nos à lembrança a ideia de José Saramago em “Ensaio sobre a lucidez”, votar em branco como uma manifestação inocente, um desabafo, a indignação pelo descalabro praticado por políticos pertencentes aos partidos da direita, da esquerda e do meio. Políticos de partidos diferentes, mas de atuações iguais, usufruindo de privilégios que afrontam a população.

Face à falta de representatividade açoriana nestas eleições (o candidato do PS não conta pois, como é visível, este partido representa apenas os seus próprios interesses), resta-nos aproveitar estas eleições para um voto de protesto. No dia 26 de Maio, vamos sair de casa e ir às urnas votar em branco por vários motivos:

  • Pela falta de condições da Unidade de Saúde da Ilha de Santa Maria
  • Pela falta de condições na Escola Básica e Secundária da Ilha de Santa Maria
  • Pela quantidade de estradas danificadas que não têm a atenção do Governo Regional
  • Pela falta de ligações aéreas e marítimas que condicionam a nossa mobilidade e o crescimento do turismo
  • Pela desvalorização da opinião e participação dos marienses no processo do spaceport
  • Por tomarem os marienses por pessoas iletradas, desinteressadas, e, mais recentemente, por nos classificarem de “minoria que teima em navegar numa caravela do século XV”
Artigo de Hernâni Bettencourt, filiado no PS regional
Artigo de Hernâni Bettencourt, filiado do PS regional

I am a foreign citizen and I live in Portugal. How do I vote?

Para os cidadãos estrangeiros a residir em Santa Maria, sugerimos que tratem de regularizar a vossa situação para poderem votar. Não será possível votar nestas eleições de 26 de Maio, mas certamente irão a tempo das legislativas de Outubro deste ano. Se de facto são residentes em Santa Maria e querem fazer valer os vossos direitos, devem quanto antes tratar deste assunto. Basta seguir o link abaixo para se informarem:

I am a foreigner citizen and live in Portugal. May I vote in the Portuguese elections?

Aproveitemos esta oportunidade para mostrar que não somos indiferentes, não somos conformistas, e não estamos satisfeitos. Aproveitemos o voto secreto para poder marcar uma posição de lucidez, para mostrar que “esta minoria que teima em navegar numa caravela do século XV” sabe como, no século XXI, fazer valer os seus direitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *