Cronologia

Esta secção visa fazer um histórico sobre o projeto do porto espacial em Malbusca, desde as primeiras notícias até ao anúncio do concurso internacional para instalação e exploração do mesmo.


Portugal, uma nova nação espacial?

A primeira vez que se ouviu falar em base espacial nos Açores foi através de uma notícia do Expresso a 26 de Junho de 2016. No calor das notícias que davam conta da saída dos militares da EUA e da perda da base das Lajes enquanto fonte de rendimento da Terceira, o Ministério da Ciência saca da cartola o AIR Centre (Azores International Research Centre). Nessa altura, o objetivo era aproveitar o aeroporto das Lajes como “base de acesso low cost” ao espaço.

A 1 de Dezembro de 2016 nova notícia do Expresso sobre a criação de uma agência espacial e um investimento adicional de 30 milhões de euros na ESA (European Space Agency). A FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia) suportou 25% deste aumento, cabendo o restante aos Ministérios da Economia e do Planeamento e Infraestruturas.  O aumento da verba proposto para 2017-2022 visa igualmente o reforço do Programa de Lançadores de Satélites, no sentido de explorar as potencialidades dos Açores para ter um porto espacial e de “permitir a entrada de instituições e de empresas de Portugal no desenvolvimento de pequenos lançadores”, refere o comunicado do MCTES.

Uma nova notícia no Expresso passados 5 dias da anterior anuncia com pompa e circunstância e em forma de rima “Portugal, a nova nação espacial”, como resultado do Conselho de Ministros da ESA que decorreu nos dias 1 e 2 de Dezembro. O ministro Manuel Heitor anuncia a criação de uma agência espacial, não nos moldes clássicos, mas sim um novo modelo baseado em parcerias público-privadas. Na criação da agência espacial inovadora, “o Ministério da Ciência está a ser apoiado por Jean-Jacques Dordain, antigo diretor-geral da ESA, que é considerado um dos maiores peritos espaciais”.

É também neste artigo que brevemente se menciona a ilha de Santa Maria: “O presidente da FCT, Paulo Ferrão, que acompanhou o ministro na deslocação à Suíça, explicou que “vai ser estudada a viabilidade da criação da agência”, projeto que “está dependente de vários acontecimentos”, como a criação do AIR Centre, o grande centro de investigação internacional projetado para os Açores (no Aeroporto Internacional das Lajes, na Terceira, ou em Santa Maria), que inclui a construção de uma base espacial para o lançamento “low cost” de microssatélites”.

 Ainda segundo esta notícia, diz-se que a “participação financeira de Portugal na ESA atingirá entre 2016 e 2022 um total acumulado de 102 milhões de euros”.